Halitose

mau hálito ou halitose não é uma doença e sim, um sinal ou sintoma de que algo no organismo está em desequilíbrio, que deve ser identificado.

De acordo com estudos mais recentes, as origens do mau hálito podem ser:

ORIGEM BUCAL (de 90 a 95 % dos casos)

  • saburra lingual (placa branca sobre o dorso da língua)
  • doenças da gengiva (gengivite e periodontite)

ORIGEM EXTRABUCAL ( de 5 a 10 % dos casos)

  • vias aéreas superiores (cáseos amigdalianos)
  • origem metabólica ou sistêmica
  • tempo de jejum prolongado
  • a ingestão de alimentos odoríferos (capazes de alterar o hálito)
  • o diabetes não compensado
  • a hipoglicemia
  • as alterações hepáticas, renais e intestinais como causas principais, mas que como vimos acima, correspondem somente a uma porcentagem muito pequena dos casos. Ele representa um odor desagradável que sai pela boca ou pelo nariz, causado pela formação de gases a partir do metabolismo de bactérias anaeróbias. Por se tratar de uma condição geradora de problemas sociais e psicológicos, sua ocorrência causa sérios prejuízos na qualidade de vida. O Mau hálito não vem do estômago?

O estômago é frequentemente responsabilizado pela alteração no odor do hálito, exceto em raros casos de Diverticulose esofágica  (especialmente o divertículo de Zencker – que é uma causa originada na transição entre o esôfago e a faringe) ou ainda devido a arrotos ou refluxo gastro-esofágico, porém nestes casos a alteração do hálito é momentânea e passageira e seu odor não é o característico cheiro de enxofre presente na halitose crônica e sim um odor caracteristicamente ácido.   A crença de que o estômago possa provocar o mau hálito talvez seja o maior mito na área de saúde da atualidade, que graças aos esforços da  Associação Brasileira da Halitose (ABHA) e de seus associados, vem sendo desmistificada.

Para maiores informações agende uma consulta com um dos nossos profissionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *